Arquivo da categoria: On the Screen

On the Screen: Prince of Stride – Alternative

On the Screen: haruchika – Haruta to Chika wa Seishun Suru

Poste Especial: Melhores de 2015!

melhores de 2015

Mais um ano que se vai, repleto de pontos altos e baixos. Não quero ser pessimista, mas isso é simplesmente a vida. O que nos faz sair da bad e seguir em frente e a maneira como encaramos os acontecimentos passados, seja guardando lembranças positivas dos momentos que tivemos com nossos familiares, desabafando no ombro de um amigo ou, se for do meu time, relembrar as obras que marcaram 2015.

Convido vocês caros leitores a curtirem um texto especial, marcando a chegada de 2016. Sim, o Melhores do Ano, um dos posts mais visitados da história do blog está de volta. Aqui eu e meus colegas nos reunimos, como bons amigos que somos, para indicar a vocês não apenas os melhores lançamentos mas também os títulos que marcaram o ano para nos.

Sem mais delongas, eis nossas escolhas para os melhores de 2015. Leia o resto deste post

Resenha em Massa – Franquia Digimon

digimon

Finalmente! Após incontáveis meses Digimon Tri deu as caras, negando qualquer boato sobre seu cancelamento e surgindo num formato ainda não tocado pela mídia. Nisso convido vocês, caros leitores, a embarcarem numa jornada pelos incontáveis digimundos da franquia, culminando numa rápida análise da nova série. Leia o resto deste post

On the Screen: Hibike! Euphonium – Curtindo a vida com música.

hibiki
“Você gosta de música?” “Não”. Virou resposta padrão. Conheço bandas e sei algumas letras, mas não sou fanático. Basicamente, eu escuto mas não sei conversar sobre, pior ainda se entrar com detalhes técnicos. Não sei nem dizer o que seria uma partitura, ainda assim me fascino com obras como Beck e Whiplash. Existe algo magico nesses contos de superação.

Leia o resto deste post

Vilã da história ou o que embeleza a vida?

vilã

Lá no final do século XVIII, Luís XVI, último rei do último reinado da França, também conhecido como “Capeto” pelos opositores, foi guilhotinado pelos furiosos revolucionários republicanos.

Antes de descer até a morte derradeira, ele e a família — a esposa Maria Antonieta, a irmã Elizabeth, a filha Maria Teresa e o filho Luís Carlos — foram encarcerados num templo que uma vez pertenceu aos templários. Logo que Luís XVI foi chamado à guilhotina, em meio a toda a turbulência que ocorria do lado de fora, a mãe de Luís Carlos, a rainha, disse ao seu filho: — Seu pai morreu. Agora você é Luís XVII da França. Leia o resto deste post

On the Screen: Kung Fury

kungfury Leia o resto deste post

On the Screen: Kill la Kill

kill Leia o resto deste post

On the Screen: Gungrave

gungrave

Leia o resto deste post