Arquivos do Blog

Indie-A-tom: Mr Shift – Ação desenfreada!

Atenção: O texto presente aqui é um roteiro de gravação, então, apesar de ser perfeitamente possível ver minha opinião através deste, sugiro assistir ao vídeo pois ele possui leves alterações.

Quando eu era menor os super-heróis eram uma constante na minha vida. Vi muito feira da fruta, flash e mulher-maravilha ao lado de meu pai. Curti as manhãs recheadas de Hanna-Barbera, com Quarteto Fantástico e Homem Elástico, e posteriormente me vi num hype atrás do outro pelo próximo episódio de X-Men e Homem-Aranha. Leia o resto deste post

Resenha: Dragon Head

Dragon Head

Esse é um daqueles títulos em que fico realmente sem saber se recomendo ou não, mesmo tendo gostado. Pois a conclusão e as reviravoltas contidas na obra são daquelas que vão cair no gosto de uns e serem odiadas eternamente por outros, fora alguns fatores que simplesmente devem afastar leitores independentemente do entusiasmo. Leia o resto deste post

On the Nanquim: The Hype – O poder da música!

hype

THE HYPE IS REAL!

Não existe frase mais apropriada para iniciar um texto sobre o último trabalho de Marcel Ibaldo e Max Andrade. Certamente uma brincadeira com o título, porem que não engana e apresenta de cara meu sentimento pela obra, se é que podemos chamar assim. Leia o resto deste post

Os Melhores Jogos Indie de 2016

E ae galera, Zigfrid na área, e dessa vez com o TOP INDIE 2016!

Para muitos o ano se resumiu a tretas políticas, terrorismo, desastres e ser xingado por não passar na escola, o que é muito pior que tudo isso. Brincadeiras à parte, eu sempre detestei essas retrospectivas, que parecem ditar que so acontece merda na vida.

Para mim o ano de 2016 se resumiu a fortalecer vínculo com editoras e autores, poder participar de alguns dos eventos mais legais do país e criar este canal, assim adentrando o mundo dos YouTuber, e mais do que isso, conhecendo títulos independentes fantásticos.

Pois bem, então vamos listar esses jogos, por que não? Leia o resto deste post

Picnik e Quadrinhos

picnik

Quem olha esse título no mínimo fica curioso, ainda mais se não for de Brasília é entorno, e logo começa a imaginar coisas como uma toalha estirada na grama, uma cesta de guloseimas e uma pilha de HQs para passar o dia na natureza sem deixar de lado o hobby.

Algo que sem dúvida é atrativo, e que um dia tenho de me pôr a experimentar, mas passa longe do real tema deste texto. Existe sim um amplo local aberto, e se quiser pode levar comida e se aconchegar na grama, apesar de ser preferível conhecer os diversos food trucks do evento e com certeza você não terá paz e sossego para ler ao som da música que contagia o festival. Leia o resto deste post

Indie-A-tom: The Final Station – Maquinista do Apocalipse!

Neste vídeo falamos de The Final Station, um game de ação e sobrevivência num mundo pós-apocalíptico, infestado por criaturas negras como piche, cujo único meio de transporte são as rodovias.

Mais informações na descrição do vídeo.

AtomCast: Evolução dos Zumbis

zumbiiiis

Logo provisório


Neste primeiro episódio Zigfrid (Raphael Gama), Lucas Sancarmo e Huldson Richard conversão sobre os zumbis pelas eras, de 2100 AC até os dias atuais, passando por mitologia, literatura, quadrinhos, jogos e cinema.

Quer bater um papo com a gente, enviar pautas, sugestões de leitura ou um feedback bacana? então envia um e-mail pra gente! Se juntar uma boa quantidade podemos até fazer um caixa postal e responder durante o programa. ^^

blogmangatom@gmail.com

Baixar o podcast: Mega

Glossário em breve.

Indie-A-tom: RIVE

Neste vídeo falamos de RIVE, um platform shooter extremamente hardcore que não deixa a desejar a nenhum bullet hell.

Atom 5: Os Melhores Rogue Likes

Indie-A-tom: Ghost 1.0

Neste vídeo falamos de Ghost 1.0, um hibrido entre metroidvania e rogue like com um toque de bullet hell e horas de diversão. Sendo que a única forma melhor de descrever este jogo o colocando como um Unepic sci-fi, afinal é do mesmo criador.