Arquivos do Blog

Atom 5: Os Melhores Metroidvanias

 

Atenção: O texto presente aqui é um roteiro de gravação, então, apesar de ser perfeitamente possível ver minha opinião através deste, sugiro assistir ao vídeo pois ele possui leves alterações.

É, eu sei, um pouco atrasado, mas aqui está o TOP 5 Metroidvanias. Lembrando que antes de começarmos vamos destrinchar rapidamente o gênero, falando de sua origem e características principais, para assim adentrarmos numa rápida conversa do porque eu gosto tanto dos títulos apresentados. Leia o resto deste post

Indie-A-tom: Mini-Ghost – Realmente Mini

Atenção: O texto presente aqui é um roteiro de gravação, então apesar de ser perfeitamente possível ver minha opinião por este sugiro ver o vídeo pois este possui leves alterações.

Lembram de Ghost 1.0? Se não, saiba que este é um dos meus jogos favoritos. Um metroidvania carismático e inovador que tive o prazer de fazer um review ano passado e que me conquistou tanto que acabou levando o primeiro lugar no meu top de 2016.

Agora em 2017 Ghost volta em um novo game, um preludio intitulado Mini-Ghost, que além de contar brevemente como se deu o surgimento do plot seguinte também serve como uma homenagem aos games de MSX, um padrão de microcomputadores da década de 80. Leia o resto deste post

Indie-A-tom: Alwa’s Awakening – Puzzle Metroidvania

Alwa’s Awekning foi fornecido ao canal Mangatom pela Eden Pixels, uma empresa novata que em seu primeiro jogo tenta trazer um metroidvania com elementos clássicos do Nintendinho, porém sem deixar de lada a era em que nos encontremos. Logo espere um jogo de mecânicas simples, porém bem fluidas e com um mundo fantástico, o qual falaremos nesse instante. Leia o resto deste post

Os Melhores Jogos Indie de 2016

E ae galera, Zigfrid na área, e dessa vez com o TOP INDIE 2016!

Para muitos o ano se resumiu a tretas políticas, terrorismo, desastres e ser xingado por não passar na escola, o que é muito pior que tudo isso. Brincadeiras à parte, eu sempre detestei essas retrospectivas, que parecem ditar que so acontece merda na vida.

Para mim o ano de 2016 se resumiu a fortalecer vínculo com editoras e autores, poder participar de alguns dos eventos mais legais do país e criar este canal, assim adentrando o mundo dos YouTuber, e mais do que isso, conhecendo títulos independentes fantásticos.

Pois bem, então vamos listar esses jogos, por que não? Leia o resto deste post

Indie-A-tom: Ghost 1.0

Neste vídeo falamos de Ghost 1.0, um hibrido entre metroidvania e rogue like com um toque de bullet hell e horas de diversão. Sendo que a única forma melhor de descrever este jogo o colocando como um Unepic sci-fi, afinal é do mesmo criador.

Entrevista: Aleks Kuzmanovic (Runic: Legacy of Sin)

Neste vídeo entrevistamos o canadense Aleks Kuzmanovic e falamos sobre Runic: Legacy of Sin, um metroidvania com foco em combos e uma pitada de Dark Souls.

In this video, we interview Aleks Kuzmanovic about his new game, Runic: Legacy of Sin. A combo based metroidvania with a pinch of Dark Souls.

Cobertura da Jam Nerd Festival / BRING – Parte 4

jnf4
Parte 4. Me sinto cansado por passar horas escrevendo, tentando não deixar um buraco se quer, fazendo dos posts da cobertura algo ininterrupto, e por mais que meu corpo diga não eu empenho cada fibra nessa tarefa, pois no fim do dia o dever se transforma em alegria. Leia o resto deste post

Cobertura da Jam Nerd Festival / BRING – Parte 2

jnf2
Começamos então a segunda parte da cobertura do evento Jam Nerd Festival, agora num ponto que eu admito já não saber qual a ordem em que visitei os estandes, e certamente posso ter errado a mesma na postagem anterior.

Mas chega de papo, e vamos ao que interessa, os jogos indie! Leia o resto deste post

Cobertura da Jam Nerd Festival / BRING – Parte 1

jnf1 Leia o resto deste post

Indie-a-Tom: Dreaming Sarah – Mergulhe no desconhecido

sarah
Quando falamos de Dreaming Sarah a primeira coisa a se dizer é que não busque informações.  Pera lá, isso também não quer dizer que se deva comprar o jogo às cegas, apenas que ele é melhor aproveitado sem entrar a fundo no enredo, ou suposições do que seria um.

Leia o resto deste post