Arquivos do Blog

Mangatom ressurge das cinzas! – Porque fiquei tanto tempo sem escrever?

Então gente, é, eu dei uma sumida boa. Isso aqui chega já está empoeirado. Passei a focar muito no canal, pois querendo ou não lá eu tenho um feedback melhor. Não é somente números de visitas, mas likes, deslikes, inscritos e aquilo que mais dá prazer, comentários.

E se não bastasse isso eu consegui um emprego por conta do canal, depois outro e outro, e hoje posso dizer que trabalho com YouTube e vídeos num geral. Logo existe uma certa urge de ir lá e fazer mais, pois além de ser divertido o processo de criação eu estou me aprimorando na minha função e ainda de quebra serve como um portfólio.

Sem contar que eu recebo apoio de desenvolvedoras e editoras. Não que eu nunca tenha recebido algo aqui no blog. Na verdade, eu devo ter mais de 10 títulos, incluindo edições autografadas de agradecimento e HQ com quote meu atrás.

Eu tenho, ou tinha, feedback aqui. Comentários principalmente em redes sociais, mas ainda assim poucos comentários. Nada disso era regra. A diferença entre o canal e o blog era gigantesca, sendo um projeto novo contra um algo de 10 anos. E muito provavelmente isso se deu por conta dos blogs terem caído no esquecimento e o YouTube ser uma plataforma em continua ascensão.

Tanto que eu tentei ir para o YouTube no meio otaku. Criei o Nanquim Animado, postei lá alguns vídeos que receberam um número absurdo de viés em pouco tempo. Nada de milhares, não, nem perto disso. Mas para algo recém criado passar de 50 views é um tanto surpreendente.

So que canal de anime no YouTube é muito, mas muito merda de se fazer. Você leva flag e strike por absolutamente tudo. Bots fazem isso, tratantes, estúdios e até mesmo detentores dos diretos da obra em outros países, que nem ao menos é Brasil ou Japão.

Mas sabe qual o pior? Você passa horas fazendo o trampo, com pesquisa, roteiro, narração e edição, vai publicar o vídeo e opa, vem o flag. Ai tem um sistema bosta para reivindicar, você pesquisa leis BRs, assiste vídeos sobre o assunto, estuda como é no pais da empresa que lhe atacou, digamos, e chega numa solução. Mas é uma resposta que existe apenas na sua cabeça de algo que deveria dar 100% certo.

So que você envia a mensagem para o YouTube e quem resolve se te libera ou não e quem fez a denúncia. E eles não liberam, mesmo que você esteja certo. Logo 90% dos meus vídeos foram bloqueados de serem exibidos e eu caguei pro canal. Morreu. Fim. Tchau. E eu até poderia contatar diretamente as empresas, so que isso é um processo demorado, difícil e sem garantia de resposta. Sem contar que ainda tem aquelas que bloqueiam qualquer acesso de brasileiros, limando completamente a possibilidade.

Cof Cof Funanimation Cof Cof.

E foi assim no meio dessas aventuras e desventuras que eu fui aos poucos me desvencilhando do blog, mas não completamente. No início até o canal se chamava Mangatom, mas troquei para Indie-A-tom após preferir setar um brand. Continuei escrevendo, mas com canal e emprego juntos o processo começou a ficar complicado.

Sem contar a questão de tempo, eu não estava conseguindo pensar no que escrever ou começava a fazer outra coisa, assim parando na metade simplesmente porque não dava vontade ou não sabia como prosseguir. E em outro meio eu redigia texto após texto de roteiro. O que me volta a pensar que o resultado favorável do canal influenciou nesse bloqueio criativo.

Sabe, eu fico ansioso para fazer o próximo vídeo. Eu realmente adoro de paixão o meu canal, edição, narração, jogos e afins. Já aqui eu so escrevia algo quando entrava num estado de completo hype. Não podia ser algo apenas interessante, eu tinha de falar de algo foda. Que me impressionou num nível acima do normal.

Meu ultimo “hype” – Allegro Non Troppo

A proposta do blog foi sempre tentar focar no que eu gosto, evitando falar mal de obras, a não ser dentro de um determinado espectro da análise. Sim, eu gostei de Tokyo Ghoul, apesar de tantos de vocês odiarem meu review e foi no mínimo interessante analisar Gamma. Logo, ao menos na minha cabeça, isso ainda não é “detonar” a obra. Mas sim mostrar os pontos bons e ruins, pois nada é 100% perfeito.

Tirando esses, teve outros fatores externos que me prejudicaram muito. Os piores foi eu ter perdido o e-mail no qual eu tinha o contato de diversas editoras e deu ter convivido com certas pessoas que menosprezavam o meu trabalho, sempre me colocando para baixo, pois nada era bom o suficiente. Não uma, mas várias. E não estranhos. Amigos e familiares, e isso dói. Ou melhor dizendo, pessoas com as quais agora me afastei.

Mas voltando ao blog em si. Depois de tudo isso eu queria dizer que vou voltar a escrever, para valer dessa vez. Nada de promessa. É uma verdade, afirmação. Se não esse texto aqui nunca teria sido publicado. Eu estou com essa urge de por o que penso no papel e é isso que vou fazer, mas preciso de um pouco de paciência de vocês e talvez uma certa ajuda.

Hora de festejar! UHUL!

Eu não to 100% ainda. Voltar a postar e manter um ritmo consistente são 2 coisas completamente diferentes. Meu maior problema é como fazer isso. Eu quero escrever sobre mangás principalmente, mas mangás são muito longos e me pergunto quanto tempo eu demoraria para ler algo digno de receber analise.

Então a parte da ajuda vem de recomendações. Vocês podem me indicar coisas para ir atrás. É uma mão dupla. Fala algo que quer um review e eu dou uma olhada e possivelmente escrevo sobre. Ou no mínimo vocês podem me ajudar comentando mais, compartilhando ou se for o caso indicando uma nova plataforma, melhor que o wordpress para interação.

É isso, acho que já falei d+. Me desejem forças para fazer esse retorno ser triunfante!

Intermitência intermitente

intermitencia

— Alô. Sofrimento?
— Não. Ligou errado. Aqui quem fala é a Inspiração.  Leia o resto deste post

On the Nanquim: Samurai Jack

samuraijack

Em 2001 a Cartoon Network mostrou que seus originais não eram apenas focados em comedia e na garotada, com um título que poderia ser aproveitado por qualquer idade e que apresentava temas até certo ponto maduros para a audiência do canal. Leia o resto deste post